sexta-feira, 22 de agosto de 2014

[Maratona Disney] #6: Alô, amigos!

Título original: Saludos Amigos
Ano de lançamento: 1942
Sinopse: A turma da Disney está reunida na América do Sul em meio a paisagens super coloridas. Apresentando personagens divertidos como Zé Carioca, Pedro, um avião mirim do correio e os famosos Pato Donald e Pateta, em aventuras espetaculares! 

  
   “Alô, amigos!” é um (confuso) curta metragem composto por outros curta metragens. Isso mesmo. Com quarenta minutos de duração, a animação passa por alguns países da América Latina, mostrando todas as suas cores e costumes.
   Pato Donald é um típico turista americano em terras chilenas, fotografando tudo o que pode e tentando fazer parte da cultura “exótica” do país. Pateta, seguindo a linha de seus famosos curtas (que “ensinam” algumas coisas através de sua figura atrapalhada) passa de um cowboy americano para um gaucho da Argentina, submetendo-se aos trajes exagerados a às danças típicas. Pedro é um jovem avião que trabalha para os correios; quando seu pai fica doente, ele tem que fazer uma entrega passando pelo perigoso Monte Aconcágua durante uma grande tempestade. Agora no Rio de Janeiro, Pato Donald conhece o papagaio Zé Carioca, que o guia pelos principais pontos turísticos da cidade e lhe apresenta toda a essência da cultura brasileira, com direito a samba de primeira, paisagens exóticas e cenários da cidade.


  Pessoalmente, tomo “Saludos Amigos” como um dos filmes mais entediantes da história da Disney. Mas, apesar disso, é inegável a sua beleza e importância histórica.
   De meados da década de 1930 até 1930, os Estados Unidos estavam exercendo a política de boa vizinhança com os países da América Latina, em decorrência da Segunda Guerra Mundial; principalmente com o Brasil, já que Getúlio Vargas recusava-se a tomar um lado na guerra. Tanto que Carmen Miranda acabou por se tornar o maior símbolo da política de boa vizinhança. “Saludos Amigos” foi, de certa forma, um pedido do próprio presidente Roosevelt a Walt Disney.
   Assim como forma de contextualização histórica, o filme também é um tipo de documentário sobre a própria história da Disney; talvez essa afirmação seja exagerada, mas deve ser considerada. Em algumas partes do filme, durante os voos de uma país a outro, o próprio Walt Disney e seus cartunistas são mostrados em carne e osso. E também seus desenhos originais.
   O filme também nos apresenta o personagem mais malandro e brasileiro da história: Zé
Carioca, que na verdade era paulista! Sim, José do Patrocínio de Oliveira (o próprio fez a dublagem original do personagem) nasceu em Jundiaí (beijos, terra amada!) e Walt Disney o conheceu durante as várias viagens que José de Oliveira, um importante músico brasileiro que realizava trabalhos com Aurora e Carmen Miranda, fazia aos Estados Unidos. Em 1942, quando se conheceram, José soltou seu inglês carregado de sotaque (que, inclusive, aparece no filme e é engraçadíssimo) e Walt chegou a dizer “Não tente ser americano, já temos americanos suficientes aqui. Seja brasileiro”.
   Além de mostrar algumas características e costumes de povos da Argentina, Chile e os descendentes de Astecas, a sequência mais interessante de “Saludos Amigos” é, sem a menor dúvida, a Aquarela do Brasil. Em meio a imagens reais do carnaval carioca, a famosa composição de Ruy Barbosa começa a tocar. Logo, pincéis vão pintando paisagens brasileiras de acordo com a música. E, em aquarelas, é claro!

   Essa é uma resenha podre para um filme que, para mim, não é tão interessante além dos aspectos citados. “Saludos Amigos” tem sua importância histórica e sequências boas. E nada mais. 

Próxima parada: The Three Cabaleros, de 1944

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hey!, se você não comentar, como vou saber que passou por aqui? Deixe sua opinião e faça uma pessoa feliz ~voz campanha de solidariedade~